Hoje é o Dia! Agora é a Hora!

Paula Garcia

Acerca do Autor : Empreendedora Digital e Mentora de Empreendedores. Oradora em Eventos sobre Marketing, Liderança e Empreendedorismo. Publica regularmente em várias redes sociais e no seus blogs sobre Marketing Digital, Empreendedorismo e Desenvolvimento Pessoal. Vive 100% da Internet e é TOP de Rendimentos na empresa que escolheu como parceiro de negócios. Inspira pessoas Comuns a viverem Vidas Extraordinárias e a serem LIVRES, desenvolvendo-se como pessoas e realizando os seus Sonhos.

Quero Dinheiro! Não quero Trabalho

Internet Marketing, Multinivel, Negócios 29 Comentários

quero dinheiro nao quero trabalho

Quero Dinheiro! Não quero trabalho: Ontem à noite assisti a uma reportagem na TV cujo tema me despertou a atenção. Os factos relatados nas entrevistas começaram a incomodar-me.

Alguns empresários queixavam-se que, apesar da crise e do desemprego, os candidatos não queriam trabalhar. Mas, o pior ainda estava para vir e, isso é que me deu volta ao estômago.

Acompanhem-me no desenrolar desta história.

Quero dinheiro

Os argumentos dos empresários eram de que os candidatos preferiam ficar a viver do subsídio de desemprego, do que ir trabalhar por mais algum (pouco) dinheiro.

Por outro lado, os sindicatos acusavam os empresários de se valerem da crise para oferecerem apenas o ordenado mínimo e condições precárias de trabalho aos candidatos.

Não vou aqui sequer comentar os argumentos de uns e outros, sob pena de ser fuzilada :-)

Mas, o que realmente me incomodou foi, já perto do final da reportagem, o dono de uma pastelaria famosa em Lisboa, depois de relatar um episódio com um candidato que lhe respondeu: “eu quero dinheiro”, fazer menção a um graffiti que foi pintado numa parede bem perto da pastelaria.

Pelos vistos, esse graffiti já é famoso, porque consegui encontrar na net a foto do mesmo. Pasmem-se!

quero dinheiro

Não quero trabalho, quero dinheiro

O que realmente me deu a volta ao estômago foi esta frase: “Não queremos trabalho, queremos dinheiro!”

Independentemente dos argumentos dos intervenientes na reportagem, que podem ser ambos válidos, o motivo de eu abordar este tema aqui hoje, foi o diálogo interior que fiquei a fazer depois de ver esta “aberração”, por já ter ouvido isto tantas vezes nos negócios online e de marketing de rede.

Já por diversas vezes falei sobre este tema e não me canso de o repetir, porque me irrita o acomodar e o deixa andar, a passividade e falta de brio, ao mesmo tempo que me entristece olhar à minha volta e pensar no desperdício de tempo e de talento.

Dou comigo a pensar: “O que pensam estas pessoas?”, “O que esperam das suas vidas?”,”Que futuro poderão ter?”

Quero dinheiro fácil

A cultura do agora, do hoje, do já, aliada à cultura do fácil, está cada vez mais enraízada na sociedade.

Quando pensamos que os nossos pais levaram anos a ter a sua própria casa, a mobilá-la e equipá-la e que hoje os jovens só dizem: “quero dinheiro” para terem tudo o que os seus pais levaram anos e anos a construir…

Onde vai parar a nossa sociedade com a cultura do “quero dinheiro já” e do “quero dinheiro fácil”?

Antes de me apedrejarem, acompanhem-me neste raciocínio.

As pessoas que ficaram sem emprego por verem a sua empresa fechar e que estão agora no subsídio de desemprego, ganhavam quanto?

Quando lhes oferecem um trabalho a ganhar pouco mais do que o ordenado mínimo – que é practicamente o mesmo que ganhavam antes de perderem o emprego – recusam porque não compensa… talvez não, talvez sim, mas isso é se pensarem apenas no já, no agora e no fácil.

Então, e o amanhã?

Há alguns anos atrás, quando larguei a minha empresa, requeri o subsídio de desemprego e tinha direito a 1 ano e meio a receber 500 euros.

Desde o primeiro dia, comecei activamente à procura de emprego e ao fim de uma semana estava em desespero por não ter encontrado nada ainda.

Comentei com as pessoas mais próximas que, se não arranjasse nada na minha área profissional até ao fim do mês, ia inscrever-me na Telepizza e no MacDonald’s. Imaginem lá qual foi a reacção?

Pois, provavelmente a mesma que a vossa: riram-se à gargalhada… “Então tu vais receber 500 euros do desemprego e vais trabalhar pr’á Telepizza pelo mesmo ou pouco mais? Estás mas é maluquinha, deixa-te ficar sossegada…”

Sossegada, eu? Hummmm….

Quero dinheiro mas não quero trabalho

Ao fim de 3 semanas, arranjei um trabalho a ganhar 600 euros. Tendo em conta as deslocações e os almoços fora de casa, sobravam-me 500 euros – o mesmo do subsídio – e claro que tinha que me levantar da caminha todos os dias e ir trabalhar 8 horas.

O mais engraçado foi que na entrevista, o meu futuro patrão me questionou porque é que eu, tendo sido gerente da minha própria empresa, me ia sujeitar agora a um trabalho como telefonista. Até ele estranhou…

A resposta é simples: eu tinha que pensar no futuro! Agora, podia começar como telefonista, mas em breve surgiria outra função mais bem remunerada para eu desempenhar e poderia alargar os meus horizontes.

Não pensei no hoje, nem no já, nem no fácil, pensei que se ficasse em casa 1 ano e meio sem fazer nada, isso iria pesar no meu currículo e quando tivesse que voltar ao mercado de trabalho, como ia explicar aquele interregno?

Não pensem que se podem desculpar aos vossos futuros empregadores com o facto de não haver trabalho.

Trabalho há, só que….”não quero trabalho, quero dinheiro”, não é?!?

A cultura do hoje, já, agora mesmo, retira-nos o poder da VISÃO. A visão do futuro, do sucesso e da liberdade!

Queres dinheiro mas não um trabalho, então cria o teu

Mas, um emprego hoje em dia não dá, por si só, garantias para o futuro. Por isso, alguns acham que não compensa, não vale a pena, mais vale ficar na caminha. Está tudo certo…

Eu também sabia que o emprego que arranjei era apenas um Plano B para sair da situação temporária de falência pessoal em que me encontrava.

Não era esse emprego que me iria dar o estilo de vida com liberdade que sempre ambicionei!

Muitas pessoas são confrontadas hoje com a oportunidade de fazerem algo de diferente para assegurarem o seu futuro.

Também eles dizem: “quero dinheiro” e quando ouvem falar na possibilidade de ganhar muito dinheiro os olhinhos ficam logo a brilhar.

Aproveitam a oportunidade de fazer algo diferente, em vez de ficarem à espera que acabe o subsídio, investem algum dinheiro e até iniciam o seu próprio negócio online a partir de casa.

Mas, ao fim de uma semana vão falar com o upline e começam a queixar-se: “Eu ainda não ganhei dinheiro nenhum e esse negócio dá muito trabalho”.

Você explica que nesse negócio, como em qualquer outra coisa na vida, as coisas levam algum tempo para acontecer, dá algum trabalho, não se ganha dinheiro de um dia para o outro, mas que nessa oportunidade se ele fizer as coisas bem feitas, seguindo um plano de 90 dias, ele pode conseguir atingir os seus objectivos.

Quero dinheiro, isso dá muito trabalho

Mas não adianta, ele continua e está ainda mais zangado agora: Eu quero dinheiro já! E se dá trabalho, então não quero, eu quero dinheiro!” E bate com a porta e vai embora…

Quem trabalha em Internet Marketing ou Marketing de Rede que se acuse agora. Quantos downlines seus já lhe responderam isso? Quantos?

Desculpem lá qualquer coisinha mas…

… preferir ficar na caminha com o subsídio de desemprego, a vêr passar a vossa vida ao lado, quando podem ter a oportunidade de trabalhar para vocês próprios, sem horários fixos, sem patrões e sem limite de ganhos durante mais alguns anos e, depois ficar a viver dos rendimentos, com tempo livre e saúde para aproveitarem o que a vida tem de melhor…

(sem comentários)

Error, group does not exist! Check your syntax! (ID: 2)

Quero dinheiro, por isso trabalho muito para mim

Quando encontrei o meu negócio online, que é muito mais do que isso, porque é um projecto de vida real e, me apresentaram o plano para eu realizar os meus sonhos num prazo de 3 a 5 meses, eu pensei que até podia levar 10 ou 15 que não fazia mal nenhum.

Porquê?

Porque nunca em emprego algum, eu conseguiria conquistar a liberdade de estabelecer o meu próprio horário, trabalhar com quem quiser, onde quiser, com companheiros de negócios e amigos e ainda por cima ter rendimentos que não são limitados, nem dependem do estado ou da segurança social.

Se estás numa oportunidade de negócio online ou de marketing de rede e achas que dá muito trabalho, pensa melhor! O marketing de rede é um dos melhores lugares para enriquecer, mas o pior para sobreviver.

Se queres dinheiro mais rápido para te ajudar a alavancar o teu negócio, arranja um sistema de trabalho duplicável, encontra uma equipa que te dê apoio, mete as mãos na massa e em breve poderás estar a ganhar dinheiro.

Eu também quero dinheiro, claro que sim, mas sem trabalho não é possível.

A diferença é que eu também vou ter o tempo e a liberdade de poder usufruir daquilo que o dinheiro me proporciona.

Eu quero Dinheiro E Liberdade, por isso tomei as minhas decisões, agora a opção é tua!

**********************************************************************************************************************************

Related Posts

29 Comentários

  • Fernando Sá Barreto em 15/10/2010

    Realmente chegaste a uma constatação do que ocorre no mercado de trabalho, existem vagas mais faltam profissionais para preenchê-las.
    Muitas destas vagas não são preenchidas por faltar profissionais qualificados e outras pelo próprio profissional optar em ficar no seguro desemprego em quanto o tempo passa sem fazer nada para seu crescimento pessoal.
    Aqui no Marketing Multinivel melhoramos dia a dia, passo a passo focados no nosso desejo de melhorar como pessoa e ser humano

  • Rui Gabriel em 15/10/2010

    Eu compreendo que muitas vezes o Urgente toma o lugar do Importante. É “importante” criar algo para o futuro, mas é “urgente” colocar comida na mesa. Uma coisa não pode canibalizar a outra.

    Obrigado à Paula pelo testemunho dela que eu sei em primeira mão que é verdadeiro, letra por letra.

    Que ele inspire outras pessoas determinadas e as oriente para uma solução verdadeira, como a que eu sei a Paula conquistou.

    • Author
      Paula Garcia em 22/10/2010

      Pois é Rui, são coisas distintas, ambas importantes.
      Obrigada pelo comentário.

  • Magda Maria Fagundes em 16/10/2010

    Se estou nessa atual empresa trabalhando, foi e é graças o que aprendi com o Marketing de SILVIO FORTUNATO, tudo que lí, batalhei , foi em base das instruções e ensinamentos no MMN.
    Enfim, esta é minha escola, a qual me fez aderir um trabalho , e estou me saíndo bem, mas graças aos ensinamentos desses empenhadíssimos instrutores.
    MUITO OBRIGADO!
    Mas , só estou começando.
    Magda Maria Fagundes

    • Author
      Paula Garcia em 22/10/2010

      Parabéns por ter escolhido os melhores para aprender com eles.

      Muito sucesso no seu trabalho.

  • […] This post was mentioned on Twitter by Paula Garcia, Fernando Sa Barreto. Fernando Sa Barreto said: Quero Dinheiro! Não quero Trabalho – http://paulagarcia.biz/quero-dinheiro-nao-trabalho/ […]

  • Boas Oportunidades em 26/10/2010

    É preciso muita cara de pau para assumir essa frase “Não quero trabalho, quero dinheiro”. Infelizmente é um reflexo da nossa sociedade, que perdeu muito em termos de valores como o respeito, o brio e a honra. Agora, parece prevalecer o atropelo, e o facilitismo. Digo parece porque me recuso a acreditar que tenham desaparecido. Prefiro pensar que estão apenas adormecidos, talvez mudos de espanto com casos como este que tão bem retratou.

  • Anonimo em 11/02/2011

    Acho que os patrões também o querem todo…Se aumentassem um pouco o salário mínimo mas também exigissem mais responsabilidades ás pessoas, a ver quantas pessoas que estão no desemprego iam trabalhar…Se pagar pouco fosse boa politica os paises mais produtivos da UE pagavam pouco e lembro que não é assim o ordenado minimo nestes paises é mil e tal euros. Na vossa opinião é o Portugues que é preguiçoso Está bem são opiniões mas lembrem-se que é um dos melhores a trabalhar no estrangeiro porque será…

    • Author
      Paula Garcia em 14/02/2011

      Olá anónimo, tenho pena que não se tenha identificado, pois assim não me permite que lhe responda directamente. Se temos uma opinião, devemos dar a cara por ela. No entanto, respeito a sua posição e permita-me que lhe responda.
      Este artigo não pretende discutir se os portugueses trabalham muito ou pouco, cá dentro ou lá fora. Eu até acho (e está comprovado) que os portugueses trabalham muito (os que estão no activo). Mas, a questão é: os que decidem não trabalhar, supostamente por “falta de uma compensação à altura”, que fazem para melhorar a sua situação???
      Se não estamos contentes com a situação que temos, só temos que perceber que depende de nós, e não do estado ou dum qualquer patrão, inverter essa situação.
      Uns optam por ir para fora do país, outros optam por criarem as suas próprias oportunidades, trabalhando para si próprios, por não estarem satisfeitos com o que ganham.
      Qualquer uma destas opções é válida.
      Ficar sem fazer nada é que, na minha opinião, não é sequer opção (ou não devia ser).

  • […] todos os dias as pessoas queixarem-se das suas vidas miseráveis e deitarem as culpas no estado, no patrão, nos colegas, no sócio, no marido, nos pais, nos […]

  • Rogério Alves em 18/04/2011

    Oi Paula parabéns pelo artigo, e principalmente pela atitude de se empenhar a ser útil.

    • Author
      Paula Garcia em 20/04/2011

      Olá Rogério,

      Obrigada pelo comentário. Realmente é a atitude que faz a diferença na nossa vida.
      Eu opto por ter uma atitude positiva e guerreira de querer sempre mais e melhor e não me resigno a um estado de “sobrevivência”.
      Por isso , procurei e procuro sempre oportunidades na minha vida.

      Abraços e muito sucesso,
      Paula Garcia

  • Daniel Toyoshi em 19/04/2011

    Olá Paula, o grande erro das pessoas é primeiramente como elas pensam, geralmente procuram grandes recompensas e pequenos esforços. Para gerar grandes resultados precisamo dar o melhor de nós, gostar do que faz e sempre persistir.

    Parabéns pelo conteúdo.

    Um forte abraço, sucesso ilimitado a você.

    • Author
      Paula Garcia em 20/04/2011

      Olá Daniel,

      Obrigada pelo comentário.
      Quem procura grandes resultados com pequenos esforços acaba por se dar mal nos negócios e na vida.
      No entanto, podemos simplificar e duplicar os nossos esforços se usarmos um sistema eficaz e nos apoiarmos numa equipa de vencedores.

      Abraços e muito sucesso,
      Paula Garcia

  • Ricardo em 02/08/2011

    O que está a acontecer é que certas pessoas estão a acordar da lavagem cerebral que esta sociedade da treta vos fez…
    O que eu espero da vida? Fazer o que eu quiser e bem me apetecer? E usar todo o tempo que eu tenho neste mundo a fazer algo que eu gosto e me dá prazer e não num emprego da treta de 12 horas por dia por uma porcaria de salário, enquanto há pessoas que nem o 5º ano têm e andam atrás de uma bola e ganham milhões…

    A vida basicamente é nasces, passados uns anos vais para escola para teres qualificações suficientes para seres mais um escravo desta sociedade, e depois passas o resto da vida a trabalhar até morrer. Sim porque com o triste estado em que o País está, Reforma só se for no Mundo das Maravilhas…
    E só um burro é que fica calmo e aceitante com isto, e não é assim que eu quero que a minha vida seja. Eu quero fazer dela o que eu quiser e bem me apetecer e não como esta sociedade da treta diz!

  • Francisco Carneiro em 06/03/2012

    E mai nada!
    Quantas pessoas conheci que desistiram do marketing de rede? Muitas. Se pensar nelas uma por uma chego sempre à mesma constataçao: por uma razao ou por outra, nao trabalharam suficientemente. Claro que a culpa nunca é delas! Ha pessoas que confundem MMN com Lotaria. Onde estao essas pessoas agora? Facil! No mesmo buraco em que sempre estiveram, ou seja, na sua zonazinha de conforto, que ao fim ao e ao cabo é tao tao desconfortavel. Enfim, contradiçoes do género humano!!

    • Author
      Paula Garcia em 07/03/2012

      Como diz o nosso amigo Silvio Fortunato: “Mistérios da mente humana” :)

  • Mudança de Paradigma: É necessária? | PORTAL ADMINISTRANDO em 16/03/2012

    […] todos os dias as pessoas queixarem-se das suas vidas miseráveis e deitarem as culpas no estado, no patrão, nos colegas, no sócio, no marido, nos pais, nos […]

  • Edmundo Isidro em 21/06/2012

    Vim desejar-te um feliz aniversário e que a tua se encha de saúde , Amor e de novas oportunidades e muito sucesso.
    Que passes este dia tao especial ao lado de quem gostas! Abraço Edmundo Isidro

    Eu gostaria de ganhar dinheiro sem fazer nada!!!! …mas…!!!
    Gostaria de ser conduzido por alguém que viveu com 150 eur …e … agora quantas vezes mais»?

    Fico muito contente por voce ter conseguido multiplicar em muito o valor que tinha… é um exemplo para mim que também posso cosseguir. Obrigado pelo seu exemplo… Muito sucesso. Edmundo isidro

    • Author
      Paula Garcia em 27/06/2012

      Obrigada Edmundo!
      Muito sucesso para você também e conte comigo para te orientar nesta caminhada.
      Abraços.

  • João Antonio em 04/07/2012

    A mais de dez anos conheci o MMN, mas só agora em 2012 que acordei e vi neste negocio uma grande oportunidade, pois o mesmo proporciona um trabalho diferenciado, com possibilidades reais de ganhos e uma boa aposentadoria progressiva para os que trabalham com garra e paciência.
    Ter um emprego fixo pode ser bom ,mas ter um trabalho próprio e liberdade é muito melhor.

    • Author
      Paula Garcia em 04/07/2012

      Olá João, felicito-o por essa tomada de decisão.
      As Redes de Mercado já provaram que funcionam e que são o modelo de negócio mais poderoso na nova economia.
      Há no entanto vários factores a ter em conta na escolha de uma Empresa com a qual trabalhar neste segmento.
      Nem só de um bom plano de compensação vive o Homem. Mais importante do que um bom negócio é ter uma boa estratégia.
      Abraços e sucesso.
      Paula Garcia

  • Mudança de Paradigma: É necessária? | Marketing de Rede na Internet - Inner Circle em 09/08/2012

    […] todos os dias as pessoas queixarem-se das suas vidas miseráveis e deitarem as culpas no estado, no patrão, nos colegas, no sócio, no marido, nos pais, nos […]

  • Gleison Moura em 20/09/2012

    Muito bom o artigo! Definiu muito bem o marketing de rede, a sua essência!

  • […] todos os dias as pessoas queixarem-se das suas vidas miseráveis e deitarem as culpas no estado, no patrão, nos colegas, no sócio, no marido, nos pais, nos […]

  • Ednéia Castro em 17/04/2013

    Olá Paula! tenho acompanhado todos e sem exceções os seus posts , tanto aqui no Blog , quanto em outras páginas e, também lido todos os e-mails que vc me envia.Assistii a um vídeo seu , em que vc fala que recebia vários e vários e-mails e não tinha coragem de cancelar o recebimento dos mesmos. Assim está a acontecer comigo. Literalmente estou em cima do muro.Estou agora me vendo em você quando entrou para este trabalho. Estou individada e fui afastada por um período de 1 ano de minha função como Professora,não tenho mais o meu salário que era de R$1,300,00 por mês,tenho uma escola de informática que esta quase a fechar por falta de alunos e também dinheiro para investir na mesma. Enfim, tenho visto neste sistema uma chance e oportunidade de trabalho que me parece ser viável neste momento.Ainda não fiz minha inscrição,por medo de não dar conta do trabalho. Já entrei em outros sistemas de trabalho parecido e não há o apoio e suporte prometido.Preciso alavancar o meu negócio ou mesmo começar um do zero.Nunca concordei em receber salários do governo sem trabalhar.Já tive funcionários q pensam exatamente como a frase descrita no muro.acho q só realizamos os nossos planos e sonhos trabalhando mesmo.

  • Dante em 24/05/2013

    Eu também torno a repetir”EU quero dinheiro não trabalho”.Parabéns pelo discurso,um beijo no seu coraEu também torno a repetir”EU quero dinheiro não trabalho”.Parabéns pelo discurso,um beijo no seu coraEu também torno a repetir”EU quero dinheiro não trabalho”.Parabéns pelo discurso,um beijo no seu coraEu também torno a repetir”EU quero dinheiro não trabalho”.Parabéns pelo discurso,um beijo no seu coração.

  • Olá Paula! Gostei muito do artigo. Realmente é incrível como as pessoas buscam ter dinheiro mas não querem trabalhar para que isso aconteça. Isso é simplesmente impossível. Não se pode colher frutos sem plantar. Não é mesmo?Fica aqui o convite para conhecer meu trabalho. Espero que goste! Até logo.

  • Author
    Paula Garcia em 15/10/2010

    Olá Jorge,
    Uma das técnicas ERRADAS e enganosas do I.M. é postar comprovativos. Eu já vi muitos… O que te garante que aqueles resultados são verdadeiros e daquela pessoa? Já que a maior parte deles têm os dados pessoais encobertos por questões de privacidade…
    Se procurares na net vais ver alguns e até vais ver o mesmo colocado em sites diferentes (cópias).
    Então de que vale postar resultados?
    Os resultados não se vêem por números postados, os resultados vêem-se pelas acções feitas.
    Os I.Marketers de renome e que se prezam não postam resultados, inclusivé recusam-se a isso.
    Quem os posta é quem está “desesperado” para provar alguma coisa a fim de obter reputação.
    Reputação não é coisa que tu apregoas ter, mas sim uma coisa pela qual os outros te dão crédito (ou não).

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>